Hebert Conceição derrota russo e vai disputar o ouro no boxe

O brasileiro Hebert Conceição garantiu hoje (5) a vaga na final da categoria até 75kg do boxe nas Olimpíadas de Tóquio após bater o russo Gleb Bakshi. Em luta parelha, o brasileiro conseguiu ter melhor ritmo e, se destacando nas esquivas, não sofreu com o volume de golpes do adversário. Acabou vencendo por decisão dividida dos juízes. No sábado (7), ele enfrenta o ucraniano Oleksandr Khyzhniak na luta pelo ouro.

Essa é a segunda final com participação brasileira no boxe nessa edição das Olimpíadas. A brasileira Bia Ferreira lutará a final da categoria até 60kg e segue viva na busca pelo ouro. O peso-pesado Abner Teixeira já garantiu a medalha de bronze.

Como no boxe não há luta pela terceiro lugar, o russo Gleb Bakshi, que havia eliminado Hebert no último Munaidl, também levou o bronze.

“Eu estava um pouco tenso antes da luta, como eu sempre fico, né? A gente tem que ter um pouco dessa adrenalina antes da luta. Mas eu também estava bem seguro da minha estratégia, eu treinei muito com a minha equipe, não fiz nada sozinho. E que bom conseguir ter mais uma revanche. Peguei uma chave muito dura, só com lutas duríssimas.”

 

A LUTA

O brasileiro começou a luta dominando o centro no ringue e procurando a distância ideal para acertar o russo. Hebert conseguia se defender bem, mas Bakshi passou a ser mais incisivo e atacou a linha de cintura. O russo encurralou o brasileiro, que tentava se esquivava bem dos golpes. Hebert terminou o primeiro assalto com vantagem para quatro, dos cinco juízes.

Sabendo da desvantagem, Bakshi começou o segundo round tentando ser mais ofensivo. Hebert buscava dominar a luta e continuava se esquivando dos golpes do adversário. O brasileiro acertava mais golpes e, ao final do segundo round, buscou um pouco mais o “clinch”, tentando agarrar o adversário e interrompendo o combate. Hebert também teve vantagem no segundo round para quatro, dos cinco juízes.

Com a vantagem, Hebert seguiu na mesma estratégia dos rounds anteriores. O brasileiro usava da esquiva para fugir dos golpes mais pesados do russo e conseguia conectar seus contragolpes. Ao final, com a trocação mais franca, ambos acertaram bons golpes, mas a vantagem do brasileiro na luta não foi alterada.

Ao final, baiano estava muito descontraído, a despeito da luta dura. Ele dançou passinhos junto com seu técnico e quebrou o protocolo depois das entrevistas. Também celebrou o fato de estar representando a Bahia no Japão.

“Queria agradecer não só ao povo baiano, mas como todo brasileiro. Eles ficaram acordados até tarde ou acordaram cedo e estão perdendo horário pra poder trabalhar. Grandes artistas da Bahia gravaram vídeo pra mim, e isso me incentivou muito e fez eu me sentir muito especial. A banda Olodum também porque eu sempre entro com esse grande hino que é ‘nobre guerreiro'”, disse ele em referência à sua canção de entrada no ringue.

 

Uol

Foto: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *